O esporte estreitando as diferenças sociais

 

Dentro da famosa e bem-sucedida coleção "Vaga-Lume", a autora Edith Modesto oferece ao público sua mais recente criação, Manobra radical, cujo enredo apresenta alguns jovens manobrando skates e sentimentos profundos com rara habilidade.

"Em visitas às escolas, alguns professores me pediam para escrever uma história sobre o preconceito gerado pelas enormes diferenças sociais que, infelizmente, há no nosso país", lembra-se. "Entusiasmada com a idéia, lembrei que o esporte tem a qualidade de aproximar pessoas das mais variadas origens e meios socioculturais. Como o skate é o segundo esporte do adolescente brasileiro, depois do futebol, resolvi que os meus personagens se aproximariam por causa dele."

Para conhecer mais sobre esse esporte, Edith assinou revistas especializadas, passou a assistir aos programas de esportes na tevê e também aos treinos realizados no Parque do Ibirapuera e na Praça Roosevelt, ambos localizados na cidade de São Paulo. "Fiquei conhecendo skatistas e fiz vários amigos!", alegra-se.

Na trama de Manobra Radical convivem personagens de classes sociais completamente distintas, como é o caso do endinheirado Júnior e o favelado Robson. Para Edith Modesto, a criação desses personagens foi uma delícia, ainda que acredite ser a absurda diferença entre ricos e pobres uma das principais causas da violência crescente em nosso país.

Para completar o perfil de seus personagens, a escritora entrevistou meninos de rua, guardadores de carros, flanelinhas nos semáforos e skatistas de várias classes sociais. "O mais difícil para mim, no Manobra Radical, foi aprender as complicadas manobras do skate. Ainda bem que tive ótimos jovens professores."

Sonho realizado

 

Edith Modesto casou-se muito cedo, aos 16 anos. Teve sete filhos, dedicou-se a eles durante muitos anos, porém nunca abandonou a idéia de retomar os estudos e realizar seus principais sonhos.

Ser escritora era um sonho de infância. "Sempre fui professora. Quando me aposentei, um dos meus filhos me instigou: 'Como é, mãe, e o seu sonho? É agora ou nunca!'. Bastante insegura, comecei a escrever. Enviei meu primeiro livro para a Ática pelo correio. Seis meses depois, para minha surpresa e grande alegria, a Ática me ligou!"

Hoje, os campos de interesse de Edith se multiplicaram. Ela lê e pesquisa tudo o que interessa aos jovens. "Também adoro conversar com eles nas escolas e responder às cartas e mensagens virtuais que me escrevem."

Formada em Letras pela Universidade de São Paulo, Edith lecionou em diversas universidades. Como escritora, sua carreira literária decolou ao criar os volumes da série "Meu Computador", na qual apresenta aos jovens leitores aventuras excitantes combinadas com os conceitos da informática.
Outros livros de Edith Modesto foram publicados pela série "Vaga-Lume", casos de Nas ondas do surfe e SOS Ararinha-azul.